Seguidores

domingo, 30 de junho de 2013

A Luz...

 


 
A luz acorda da letargia da noite
que em meus braços dormia

Rompo as trevas da saudade
abandono folhas secas
na monotonia da tarde

Nos contornos do sono
ondulam à janela
imagens em lençóis brancos
saudações
de um novo dia 
E na sombra ainda pálida
eras o sol ainda distante
aurora que em mim nascia

No chão
desenham-se
as horas
em saudades
cristais de lume
rodopio
noites secas
lua nova
desafio

Colho do silêncio o abraço

É primavera na noite
dormindo em meu regaço


Manuela Barroso, "Eu Poétuco"
Pintura: A. Belichenko

 

sábado, 8 de junho de 2013

Pedras


"Um monte de pedras deixa de ser um monte de pedras no momento em que um único homem o contempla, nascendo dentro dele a imagem de uma catedral."
 
 Saint-Éxupery 


 Ouço...


Ouço
os segredos
desta serra
que pernoita
na luz
 doce
desta bruma
que dorme
no chão leitoso
das pedras
nuas
 na imagem
que sinto
e
 não vejo...

Manuela Barroso, Excertos de "Poema Oblíquo"

 



  

  

Fotos: Arouca,
Serra da Freita