Seguidores

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Nesta noite...







Nesta noite com medo das estrelas
onde o vento insiste calar minha voz
penetro a bruma tentando mantê-las
no meu quarto quando falo contigo a sós.

Tento decifrar esta  ventania
através da janela que olha para mim
deixando escorrer as gotas vadias
que caem nos meus olhos e me falam assim:

Sou pinga de água doce, insípida
arrastada pela aragem vagabunda
mas quando em descanso me torno mais límpida.

Não procures o brilho nem a  vã loucura
da luz que ilumina mas logo se afunda                  
no pó  dos hipócritas... lama insegura.

Manuela Barroso "Eu Poético"
31 de Dezembro, 2013


 Imagem da net

 BOM ANO DE  2014


sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Feliz Natal!









Recados





LOAS AO MENINO JESUS

Hoje escrevo de branco
como o floco de neve
que cobre com o seu manto
as palhinhas ao de leve

Não acordem o Menino
acabado de nascer
num cantinho pequenino
onde ninguém quis viver

É nesta simplicidade
que Ele  nasce sem trono
sem ouros e sem vaidade
que a beleza da humildade
é ter tudo como uma ave
ser o cântico da liberdade
não ser servo nem ser dono.

Foi a boa nova que trouxe
a doutrina que deixou
e como se fosse pouco
deu a vida porque amou!

Obrigada, meu Menino,
contigo nada mais foi igual
tão bom ser-se pequenino
 Obrigada pelo teu Natal! 
                                   (reeditado)

Manuela Barroso




PARA VOCÊS QUE FORAM MEUS COMPANHEIROS DE JORNADA, VOS AGRADEÇO DO CORAÇÃO A VOSSA MÃO!
E
A TODOS DEIXO A MINHA MENSAGEM DE PAZ COM
UM
FELIZ NATAL
E
EXCELENTE ANO NOVO.
O MEU CARINHO NUM ABRAÇO!Recados de Datas Especiais Feliz-natal

domingo, 15 de dezembro de 2013

Diz-me













Diz-me amado,
onde estão os cravos verdes,
onde se fazem os suspiros
das rosas que não adormecem?

Diz-me
onde se esconde a tua voz
trôpega de tanto voar?

Diz-me
onde plantas os lírios
que se negam a nascer
neste campo de águas mansas?
No mutismo das ondas
que se negam adormecer
nesta ânsia de te ver?

Diz-me onde me recolhes no entardecer
da bruma!
É esta a mansidão onde eu quero
repousar deste ruído
o resto
é coisa nenhuma!

Vem
estarei à tua espera
Tu, a árvore
Eu, a hera.


Manuela Barroso
Fotos: Vila Nova de Cerveira- Minho


sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

PARABÉNS, LENINHA!



Desciam as sombras por entre os arvoredos.
As flores atravessavam-se no caminho tentando perscrutar os teus segredos.
A tua alegria fazia dançar a pétalas com a cor do teu sorriso e o verde dos campos ficava mais verde contrastando com o colorido dos narcisos.
E seguias a caminho da tua escola com a esperança na mão onde a tua bondade era a bênção na tua missão.
Assim eram as viagens que gravaste também na minha memória,
com esse cavalo teimoso fazendo parte da tua  história,  
menina dos caracóis, doce e rebelde
com sede de descobertas, espaço e  frescura sempre à flor da pele.
A tua alegria foi atravessando o oceano chegou ao areal e aportou no meu cais. E ficaste na minha casa dela fazendo parte como os demais.
Não importa se o dia é cinzento, se tu és o azul da alegria.
Trazes o sol do aconchego da tua amizade como se transportasses o enxoval delicado das tuas rendas no devaneio dos teus sonhos que distribuis na charrete da tua alegria.
Quero agradecer-te querida Leninha,
Os caracóis redondos da tua amizade na tua presença no teu sorriso tão terno, doce, maternal!
Que hoje e sempre os dias se vistam da cor da tua alegria em que a Felicidade seja mais que um momento.
Que ela perdure em cada alvorada, acompanhada da tua doce e terna amizade!

Que o meu abraço se alongue, atravesse o oceano e sintas o calor do meu carinho!

Parabéns,
Felicidades!

Manuela Barroso



"...teus sonhos que distribuis na charrete da tua alegria."



sábado, 7 de dezembro de 2013

Ouve





Ouve
A noite perfumou-se de lua
vestiu-se de branco
O vento esvoaçava
numa constante ousadia
o véu
onde eu me escondia
da tua alegria
Parou
mas bordou o nosso amor no linho
E no luar
sobraram as sombras
do nosso vendaval branco, em desalinho


Manuela Barroso, in "Eu Poético VI"