Seguidores

domingo, 12 de outubro de 2014

Rochas


Chamas-me rocha, material inerte, sem vida,
porque não sabes ler-me
Acham-me tosca porque não tenho a delicadeza
fina do limbo das folhas, não tenho a graça bailarina
dos ramos, não tenho a leveza e agilidade das nuvens,
nem a maleabilidade da terra, a permeabilidade da areia,
nem a insustentável leveza do pó…
....
....
Manuela Barroso, "Divagando"



23 comentários:

✿ chica disse...

Maravilhosas fotos e como sempre ,a tua poesia!! bjs, já de volta! chica

Benó disse...

Poesia a embelezar as fotos. Muito bom.

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Parecem-me as nossas rochas no Algarve.
Gosto do poema.
Gosto também das rochas.
A sua beleza está muito para lá daquilo que se vê. Muitas rochas quando moldadas tornam-se verdadeiros tesouros de arte.

Bell disse...

Fascinada com as imagens

bjokas =)

vitalina de assis disse...



Mas posso ser tudo isto

se assim desejo

sinto

acredito.



Como sempre

poeta linda

sensível

sabes ler como ninguém

o que
de letras

não se faz valer.

Fiapo de Sonhos disse...

Uma grande poetisa retira das rochas uma soberba leitura para versos encantadores como os que acabei de ler.
Lindo aqui e lindas poesias. Gostei e já seguindo.
Beijinhos
Meu link http://fiapodesonhoos.blogspot.com.br/

leninha brandao disse...

Manu querida,
És luz, és brilho, és beleza em forma de poesia! Tens o dom de encantar e nós nos curvamos a este dom...literalmente.
Bjssssssss para você, minha amiga de outras eras.

Graça Pires disse...

Fotografias lindíssimas a confirmarem que as pedras têm alma...
Um beijo, amiga.

Miguel disse...

Bom dia, Manuela
Então e da firmeza, da altivez, da robustez das rochas... o que dizer?
Para não falar da sombra acolhedora que nos fornecem na praia, em dias de sol escaldante...

Maravilhosas fotos enquadrando um belo poema.

Óptima semana.
Um beijo amigo
Miguel


Silenciosamente ouvindo... disse...

Também gostei muito das fotos e das
palavras. Tudo se harmonizando.
Desejo que esteja bem.
Bj.
Irene Alves

Lídia Borges disse...


Divagando por rochas que falam porque elas sabem e contam histórias. Só mesmo um poeta para ouvi-las.

Beijinho

Lídia

Roselia Bezerra disse...

Olá,querida Manuela
Que linda percepção vc tem sobre seres inanimados!!!
Uma poesia e tanto!!!
Bjm fratenro

Silenciosamente ouvindo... disse...

As rochas(do Algarve?) também
merecem ser enaltecidas...
Gostei da conjução.
Desejo que esteja bem.
Bom fim de semana.
Bj.
Irene Alves

Nilson Barcelli disse...

Eu não te chamo rocha, porque és mais lã de rocha...
Um beijo, querida amiga Manuela.

Gracita disse...

Querida amiga
Lindas palavras. E que nossa amizade seja tão sólida como esta linda rocha
Beijos com meu carinho
Gracita

Gracita disse...

Querida amiga
Lindas palavras. E que nossa amizade seja tão sólida como esta linda rocha
Beijos com meu carinho
Gracita

Gracita disse...

Querida amiga
Lindas palavras. E que nossa amizade seja tão sólida como esta linda rocha
Beijos com meu carinho
Gracita

Gracita disse...

Querida amiga
Lindas palavras. E que nossa amizade seja tão sólida como esta linda rocha
Beijos com meu carinho
Gracita

lis disse...

Que lindas fotos Manuela
e o formato novo do blog ficou charmosinho.Adorei!
O poema como sempre tem as características dos sensíveis e apaixonados .
grande abraço kirida
fica bem.

Evanir disse...

Querida madrinha Manuela.
Tenho observado sua ausência
infelizmente ando um pouco ausente ,
mas sem nunca esquecer de você.
Amada tirei os comentários dos blogs deixando o da A Viagem.
E da Lara.
Por ñ estar dando conta mas eles são postados sempre.
E vc continua sendo madrinha.
Meu carinho por vc vem de longa data
por isso venho dar conta dos blogs.
Estou voltando a postar alguns poemas ainda posso pegar seu também?
Um beijo feliz final de semana.
Evanir.

A.S. disse...

Perante as escarpas de pedra
todo o movimento é eco
e toda a luz é reflexo.
Há contudo uma misteriosa voz
a recomendar silêncio e imobilidade...

Bjuss
AL

Nilson Barcelli disse...

Reli o teu maravilhoso poema com agrado.
Mas já vai sendo tempo de atirares outras pedras para este blog, que assim parece um lago de águas lisas...
Bom resto de semana, querida amiga Manuela.
Beijo.

Carmem Grinheiro disse...

Boa tarde, Manuela,
belíssimo poema. Chamam-te rocha? Não entendem que a rocha esconde no íntimo tanto e tanta beleza, criação de séculos após séculos, esculpidas por artista superior.

Belíssimo, mais uma vez o digo.
bj amg