Seguidores

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Páscoa




"Pai, porque Me abandonaste?"
...e expirou.


            ***

Mas não morreu
porque amou
subiu em silêncio
ressuscitou

         ***
Amo-te
no meu silêncio

Manuela Barroso




Para todos os meus amigos/as, Páscoa Feliz



sábado, 5 de abril de 2014

Ecos



Deixa que as gotas de música
cristalizem no eco das nossas notas.
É um solfejo de música cristalina
abraçando as palavras
no abraço que não demos.

Acordaremos as madrugadas
com a saudade refrescante do orvalho
correndo  a pauta
na sinfonia do arco dos nossos corpos.

Cobrir-te-ei de rosas
na dança florida dos nossos lábios
onde o poema
eternizará esta inquietude selvagem
no veludo das mãos
que atravessam  o rio sem margens.


Tu e eu,
a metamorfose da primavera
na alquimia serena das sílabas
numa chuva de sons con [ sentidos ]
onde te imagino 
na cachoeira deste rio escondido


na vertigem da corrente tão efémera.


Manuela Barroso
Imagem: da Net