Seguidores

domingo, 28 de junho de 2020

O Melro- Divagando


Cada vez que os ouço, mais admiro o seu carácter, o seu instinto protector, a sua altivez sadia(fotos minhas)
 
Como amante envolvente, cuida da casa, protege a companheira, vigiando-a, protegendo-a.
...ele é porventura o mais sedutor “gentleman” da população da sua espécie, no seu fato de cerimónia e seu bico de um amarelo de ouro, digno de um rei. 


A Propósito do Melro


Quando vagueio por espaços sombrios, há um sobressalto em cada golpe de asa. Ou é um verdilhão que me desafia com os seus trinados, ou o adorável pisco que me acompanha, arrepiando-me com o seu canto. E quanto mais falo para as copas escondidas, mais me ele me provoca  redobrada sinfonia a uma só voz.
Mas quero falar do melro.
Ladino, com a velocidade de um jacto e a provocação de um perfeito D. Juan, ele é porventura o mais sedutor “gentleman” da população da sua espécie, no seu fato de cerimónia e seu bico de um amarelo de ouro, digno de um rei. Os seus gorjeios estridentes e atrevidos nada mais são senão avisos de que ali é condomínio fechado...
Como amante envolvente, cuida da casa, protege a companheira, vigiando-a, protegendo-a.
Habituada a ver os ninhos  das cantadeiras  ceresinas nos valados ou nas latadas em flor e assustar-me com uma fuga inesperada de um pássaro negro das laranjeiras ou por entre as silvas, não muito longe no tempo, um destes meus sedutores fez ninho num arbusto de hibiscos na entrada principal. Todos os dias guardava os principezinhos no encantamento da fragilidade da sua penugem. Porém, uma tarde, quando todas as aves se recolhem quando aparece Vénus e vendo a serenidade do ninho e ausência do general, pé ante pé, aproximo-me do ninho.
Os filhotes ensaiaram uma gritaria que alertando os pais que dormiam num pinheiro do jardim, descem em voo picado em guinchos furiosos, rasando o meu rosto e cabelo em piruetas agressivas. Longe de imaginar tal investida, bati em retirada antes que levasse uma bicada nos olhos...
Cada vez que os ouço, mais admiro o seu carácter, o seu instinto protector, a sua altivez sadia, a sua garra, o seu hino às manhãs azuis ou cinzentas e o seu smoking festivo porque afinal a vida é sempre uma festa.
.
O tempo passa. Os gostos mudam. Mas como seria tão melhor se na sociedade houvesse- no melhor sentido-  mais melros: protectores,  honestos , gentlemans.

Manuela Barroso






18 comentários:

Giancarlo disse...

Il Merlo è un uccello stupendo.
Buona domenica.

chica disse...

Maravilha,Manuela! Que lindas as tuas fotos e as reflexões. Concordo! O mundo anda precisando de "melros" assim...Que os humanos o imitem...Adorei! bjs, lindo dia e nova semana! chica

" R y k @ r d o " disse...


Adorei esta publicação. Não só pela sua beleza e estética, mas também, porque por coincidência, hoje, também poetei sobre os melros.
.
Desejando um domingo de Paz e Amor

A.S. disse...

Os melros são exactamente como os descreves!
Empoleira-se nos seus versos e estende o bico para que o canto não se perca.
O bater de asas, significa que a sua amada gostou da melodia!
Pois basta estar um pouco mais atento para ver um pássaro saltar para dentro do amor...!!
Mas há algo que talvez desconheças. A sua Dignidade!
O melro, tem um conceito de liberdade incrível. Muitos melros, sentindo-se presos numa gaiola, não cantam, não comem e ao fim de poucos dias, suicidam-se, espetando o bico profundamente na própria garganta!
Há na verdade coisas que nos fazem meditar...

Um beijinho e um resto de domingo agradável Manuela!

Duarte disse...

Por aqui o temos como fiel companheiro nas suas saídas em alaridos. Mas também nos embala no anoitecer e nas madrugadas nas alvoradas... e como canta, ou assobia!
Gostei muito.
Besitos

Roselia Bezerra disse...

Como amante envolvente, cuida da casa, protege a companheira, vigiando-a, protegendo-a.

Boa noite de Domingo, querida amiga Manuela!
Que postagem mais linda e inspiradora!
Um parâmetro da personalidade que deveria nos tomar a ambos num relacionamento:
mais melros: protectores, honestos, gentlemans.
Damas e gentlemans em prol do belo Amor vivificador.
Parabéns, amiga!
Tenha uma nova semana abençoada!
Bjm carinhos e fraterno de paz e bem

Graça Pires disse...

Maravilhoso o teu texto e lindas as fotografias.
Mas olha que esse melro anda aqui no jardim perto da minha casa e chego a cansar-me de tanto o ouvir cantar...
Uma boa semana com muita saúde.
Um beijo.

Majo Dutra disse...

As aves são, mesmo, como bem as poetizou...

Abraços
~~~~

Himawan Sant disse...

Una buena foto de la foto, Manuela. Me encanta ver fotos de pájaros que no están en mi país. Gracias por eso. Saludos desde Indonesia.

Leninha Brandão disse...

Os melros vieram até aqui e seu canto invadiu a minha 🌃 noite. Zelosos e protetores fizeram o seu ninho em minha mente, oferecendo aconchego e carinho aos filhotinhos que se enroscaram em meus sentimentos. Manu, minha querida Manu, como estamos necessitados desta 🏠, deste carinhoso afeto que perpassa o teu poema trazendo asas e vôos, segurança e tranquilidade. Como estamos sedentas de um poente e de um alvissareiro amanhecer...

Megy Maia disse...

Olá querida Manuela!
Que lindo olhar sobre o melro.
Um doce sorriso!🌼😀🌼
Megy Maia🌈

Ailime disse...

Boa tarde Manuela,
Os melros são pássaros lindos e elegantes!
Aqui onde moro também os ouço cantar e saltitar nos canteiros dos jardins.
Torna o ambiente mais alegre e saudável.
Adorei o seu texto. Desconhecia as características desta ave tão protetora.
Um beijinho e bom fim de semana.
Ailime

Teresinha da Música disse...

As fotografias estão lindas demais,gostei do teu texto!! Feliz e abençoado mês de Julho para ti,muita alegria,paz e imensa saúde para ti!!

Tais Luso de Carvalho disse...

Olá, Manuela, mas que bichinho querido! Dentro da sua simplicidade, faz tudo isso majestosamente! Cuida de si e da família!
Suas fotos estão lindas, parabéns!
Uma boa semana
bjus

Luma Rosa disse...

Oi, Manuela!!
A natureza sempre nos ensina! E dizem que, o ser humano foi a pior criação de Deus. Abafa!! (rs*)
Beijinhos,

Humberto Maranduva disse...

Excelente texto, tão bem acompanhado por oportunas e sugestivas fotografias desse senhor de maviosos trinados. A Natureza é inebriante e insubstituível e a tónica que colocas no carácter do melro vem mesmo a propósito da natureza malévola da espécie humana que parece aprender cada vez menos com os belos exemplos desses seres minúsculos mas mágicos que nps aquecem a alma.
Um beijo, Manelinha.
Manel Bragança

Quase Cinderela disse...

Obrigada pela linda partilha
As fotos estão lindas <3
Beijinhos

Lindalva disse...

Bom dia minha amiga estou de volta as ondas e voltei poeticamente :-) Assim além de um abraço imenso estou a te convidar a participar do 11º Pena de Ouro, decidi reativá-lo, pois neste momento de clausura nada melhor que colocar a mente para funcionar, topas brincar? Não querendo vai uma visitinha no meu novo Ostra só para conhece-lo, ok! Beijos ♥ Eis o link https://ostra-da-poesia2.blogspot.com/