Seguidores

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Fala-me




 Imagem: net

Fala-me
das nossas mãos
na virgindade das flores
escuta
o nosso hino
no solfejo branco do linho
e ouve
a nossa música 
para onde quer que fores
Quero  perpetuar em  violetas
o perfume  do amor
na fantasia das cores 

Manuela Barroso, in "Eu Poético"

 
                                         

13 comentários:

✿ chica disse...

Tão lindo ouvir falar de amor! Bela poesia mais uma vez!Gosto muito de te ler! beijos,ótimo fim de semana,chica

ॐ Shirley ॐ disse...

Gosto do seu estilo, Manuela. Os seus poemas são lindos.
Beijo e muita paz!

JP disse...

Perpetuar em violetas o perfume do amor...muito lindo Manuela.

Beijinho

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

O falar, o ouvir o querer... presentes e marcantes, em tão lindo poema de amor...
Bom domingo, Manu!
Beijos, da Lúcia.

JP disse...

Tanta beleza neste poema Manuela. Perfumaste e pintaste a tela :))

Beijinho
(Continuo sem receber os teus post no blogger)

Beatriz Bragança disse...

Querida amiga
Que belo apelo à perpetuação do amor!!!
Pois que ele «Seja infinito»!!!
Parabéns.
Beijinhos
Beatriz

lis disse...

Oi Manu
Falar de amor é traze-lo para perto é reanimá-lo é sentir seu perfume ,
e fazes com o encantamento dos poetas,
obrigada pela amizade que me proporciona estar por perto lendo-te a muitos quilômetros de distância,
abraços e que os dias sejam bons

Anne Lieri disse...

Tão lindo seu poema,Manuela!Um belo canto de amor! bjs,

Sissym Mascarenhas disse...

Manoela,

Embora o ritmo seja melancolico,
todos nós que já amamos, tambem sofremos e tambem desejamos jamais ser esquecidos.

Bjs

Benó disse...

Flores e amor combinam na perfeição. Gosto da tua poesia. Vou ser seguidora das "reflexões floridas" para receber as atualizações.Um abraço.

Anne Lieri disse...

Manoela,é sempre um prazer vir aqui ler e reler suas belas poesias! bjs,

LUZ disse...

Olá, querida Manuela!

Como vai?

Esta noite estava a pensar fazer-lhe uma visita, mas a "menina" antecipou-se ontem e veio até cá a baixo, onde está um frio sibérico (não existe este adjetivo, na nossa Língua. Paciência, passa a existir). Caramba! Já chega, de frio!
Gostei muito do nosso tête-à-tête, que agradeço, desde já.

Bem, mas agora vou para algo muito quente, mas leve, assim como a brisa na Primavera, que nos beija e despenteia, suavemente os cabelos, sem estarmos à espera.

"Fala-me" de tudo o que sabes, e do que eu não sei, ou já me esqueci. "Fala-me" do nosso amor e da cor que ele tem, em ti.
"Fala-me" com as mãos aliviadas no meu corpo, em vaivéns divinos, poucos, intemporais e loucos.

Prometo que me vou já calar, caso não, diz que eu sei escrever poesia, semelhante àquela que a minha amiga escreve.

Gostei muitoooooooooooooooooooo da leveza e da profundidade dos versos que escreveu, aqui, ou melhor, nas pétalas e nas sépalas das violetas.

Tenha dias felizes, muito felizes.

Beijinhos, com estima e apreço.

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida
O perfume do amor é inebriante...
Lindos versos de um terno coração!!!
Seja feliz e abençoada!!!
Bjm de paz e bem