Seguidores

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

ALDEIAS DE XISTO - LOUSÃ


...e por entre a bruma, os passos escorregam na calçada roída pelo tempo.
O silêncio das pedras fala da presença das gentes. 
São agora as heras que escorregam na face lavada pelo nevoeiro que passeia como um fantasma pelo espelho dos caminhos de xisto.


A civilização rouba a riqueza pacífica da serra e dos telhados que agora cobrem somente gatos e solidão.
A chuva miúda corre, gaiata, pela laje luzidia de encontro à cortina de bruma. A Serra da  Lousã, ora se aninha, ora se ergue de mimosas ainda verdes, perscrutando a aldeia faminta de vozes de crianças que já não pedem para nascer.



A cidade enjoa.
Na memória sobram contos de fadas e princesas.
... o Homem sonha, a obra quer nascer.
.... o castelo ergue-se no xisto em ameias de faz de conta...


As janelas abertas com comando descansam na cidade maravilha.
A nostalgia das telhas com beirais onde antes faziam ninhos os pardais, os canteiros de fetos e musgo e as escadas íngremes são agora refrigério para a inquietude dos dias.
E entra-se num reino de nada e de tudo. Não existe vazio se a casa da alma se enche de paz.
A porta fecha-se... entreaberta...
As janelas de tabuinhas são olhos de espanto, enfeitados com o rímel do crochet "démodè"
A lareira acende-se.
O fumo regurgita pela chaminé diluindo-se com o nevoeiro.
...e um entardecer bondoso cobre Serra e Xisto num bálsamo de silêncio.
...e é tudo para se sentir feliz!


Manuela Barroso

"Pelas Aldeias de Xisto"



16 comentários:

✿ chica disse...

UAU!!!Que maravilhoso passeio que fiz além das tuas palavras, também pelas fotos e cantinhos... Emocionante e que valham as lembranças que fazem felizes. LINDO!! bjs, ótimo fim de semana! chica

Sissym Mascarenhas disse...



Manuela,

Eu gostaria de passar uns dias num lugar assim.... acho que voltaria outra. Mais descansada!

Beijos

Nilson Barcelli disse...

As fotos são óptimas e mostram um sítio muito bonito, que ainda não conheço.
Mas as tuas palavras têm o condão de tornar tudo ainda mais bonito.
Um beijo, querida amiga Manuela.

Pérola disse...

Uma viagem por contos de fadas bem portuguesas.

As princesas vivem rodeadas do escuro xisto que lhes realça a palidez de donzelas timidas.

Encantador e inspirador.

Um filme interessante.

beijos

Pérola disse...

Uma viagem por contos de fadas bem portuguesas.

As princesas vivem rodeadas do escuro xisto que lhes realça a palidez de donzelas timidas.

Encantador e inspirador.

Um filme interessante.

beijos

Joaninha Musical disse...

São lindas as fotografias,que belo passeio eu vi por aqui no teu blogue,espero que te tenhas divertido. Desejo-te uma excelente semana e desejo vivamente que o teu mês de fevereiro continue a correr de forma muito bela,tudo de bom para ti. Muitos beijinhos,fica com deus e até breve!! http://musiquinhasdajoaninha.blogspot.pt

Duarte disse...

Beleza nas fotos e sentimento nos dizeres, que me inspiraram assim:

Quando os telhados avermelham, intenso.
As paredes humedecem, dos musgos.
E o chão adquire esses brilhos, da chuva.
Noto que me invade a saudade: fico triste!

Abraços de vida, querida amiga

Evanir disse...

Querida amiga do meu coração..
Que lugar lindo !!
A beleza do lugar confunde se
com a beleza do seu poetar.
Manuela:Vou começar a postar poemas de meus amigos e amigas que tanto amo.
Logo vou passar por uma cirurgia
só falta passar no cardiologista,
e ir para São Paulo que fica 75 km da minha cidade.
E só poderei contar com o carinho que sempre recebi vocês são benção na minha vida.
Manuela: A Dinda Gracita vai pedir licença para vir ficar comigo.
Nunca imaginei amiga que um dia Deus colocasse na minha vida um ser humano tão especial .
A vida é feita de pequenos momentos que pode mudar nossa vida pra sempre.
Amiga se eu pudesse voaria pelo mundo para conhecer esses anjos que são todos vocês.
A minha dor é grande o desafio maior ainda mais com tanto carinho e afeto tenho que lutar e seguir em frente rumo ao desconhecido mais uma vez.
Que Deus leve até você todo meu carinho.
Sua amiga sempre..Evanir.

Olinda Melo disse...


Querida Manuela

O xisto e a poesia, casam tão bem.
As fotos recordam tempos de fadas e princesas, contando histórias escritas na pedra.
As suas belas palavras humanizam tudo e trazem-nos a dimensão exacta de um Portugal ainda desconhecido para muitos.

Bjs

Olinda

Graça Pires disse...

Uma reportagem que nos deixa com vontade de ir por aí...
Beijos.

. intemporal . disse...

.

.

. o regresso ao húmus do qual somos feitos .

.

. intemporal . onde o xisto é raiz . :) .

.

. um beijo meu .

.

.

lis disse...

E as palavras fluem diante dessa beleza de lugar impregnado de sentimentos ,
'minha alma enche-se de paz' com tamanha beleza Manu,
faz-se silêncio, portanto.
Belissima postagem kirida
te deixo abraços e beijos

ღ ✽ ღ Nancy ღ ✽ ღ disse...

(•̃‿•̃)
❀ Bonjour chère Manuela !!!

je te remercie pour ces belles photos et tes mots ... QUE C'EST BEAU !!!!

GROS BISOUS vers le Portugal
et bonne continuation ღ !!!!

Beatriz Bragança disse...

Querida Manu
Que bom e termos ainda locais onde podemos sentir-nos felizes!
Com esta tua descriçao, da vontade de fazer as malas e correr para la passar um belo fim desemana...
Muitos parabens.
Se algum agente de viagens te ler, vai querer que fales de todos os belos locais do nosso pais.
Beijinhos
Beatriz

MARIA DA FONTE disse...

Adorei, simplesmente adorei este texto.FANTÁSTCO!
beijinhos

Teresa Almeida disse...

Os meus olhos de espanto ficam na Lousã e nas maravilhas que nos mostras com tanto amor e tristeza.

Beijinho meu.